Dia do Teleoperador

Dia do Teleoperador

Saber se comunicar bem para transmitir informações corretas e “jogo de cintura” são alguns requisitos para ser um bom teleoperador.

No dia 4 de julho foi comemorado o dia do teleoperador, uma data importante para o segmento de Call Center que, de acordo com uma pesquisa do Sintelmark (Sindicato Paulista das Empresas de Telemarketing, Marketing Direto e Conexos), emprega atualmente mais de 1 milhão de pessoas em todo o país, em sua maioria, mulheres entre 18 e 25 anos, com segundo grau completo.

Ser teleoperador vai muito além de passar o dia inteiro no telefone atendendo clientes. É preciso ter paciência, bom humor e, às vezes, fazer uso da psicologia para atingir suas metas, que podem ser uma venda, por exemplo, ou simplesmente receber uma boa avaliação pelas informações prestadas.

“É preciso ter dedicação e garra pois, às vezes, enfrentamos alguns problemas que podem desanimar, mas não devemos desistir nunca”, explica Gabriel Felipe Pires, teleoperador há quatro anos.

Apesar de algumas empresas não exigirem experiência profissional, a demanda por novos candidatos capacitados nesta área cresce cada dia mais. Empresas como a Motiva oferecem plano de carreira para que os colaboradores se desenvolvam e cresçam, tanto na vida pessoal quanto na profissional.

“Sinto muito orgulho de ser teleoperadora pois é algo que faço com muita garra e uma profissão em que obtive bastante sucesso”, elogia Daniele Ester Rodrigues, há três anos na função.